Qual a representatividade do piso no orçamento de um galpão industrial

O piso de um galpão industrial pode representar cerca de 10% do orçamento da obra. Além disso, todas as operações realizadas no galpão passam por ele, portanto, a atenção à qualidade do material e solução utilizada é indispensável no projeto e na execução.

O piso industrial reforçado com fibras de aço é uma solução para galpões industriais que vem ganhando destaque no mercado nacional. Isso acontece porque as demandas por qualidade, segurança e praticidade no ambiente da indústria não param de aumentar. Dessa maneira, é muito importante dominar esse conceito, aplicando-o corretamente em sua rotina de trabalho.

Apesar disso, alguns profissionais ainda não conhecem os benefícios proporcionados por essa técnica. Além disso, acidentes, ineficiência e outros problemas podem acontecer quando o piso não é considerado com atenção no projeto e no planejamento de um galpão industrial.

Por esses motivos, este post vai ajudá-lo a entender um pouco mais sobre o assunto. Confira a seguir.

O que é piso reforçado com fibras de aço?

O concreto é um dos principais materiais da construção civil, fazendo parte de pequenas, médias e grandes estruturas. Ele tem atributos únicos: grande resistência aos esforços de compressão e muita fragilidade às solicitações de tração.

Os pisos industriais são tipicamente solicitados à flexão (que exige do material resistência à tração e compressão), apenas o concreto não é suficiente para garantir segurança à estrutura e às atividades. É necessário um reforço extra. A adição de fibras de aço aumenta a resistência, reduz a fragilidade estrutural, traz durabilidade e diminui os custos de manutenção da placa de concreto.

Na parte operacional dos pisos, a adição de fibras de aço resulta em maior produtividade em comparação com outras técnicas existentes (exemplo: reforço com telas soldadas). Existe a possibilidade de protendê-lo também.

Qual é a sua representatividade no orçamento de um galpão industrial?

Uma obra é formada por diversos componentes, não é mesmo? Vigas, pilares, lajes e elementos de fundação que garantem a integridade da estrutura e dão segurança aos usuários. E os sistemas elétricos e hidráulicos permitem o funcionamento de equipamentos essenciais em nossas vidas.

Esses exemplos mostram como as decisões de um engenheiro são importantes. Isso quer dizer que tudo deve ser muito bem planejado e executado, considerando os recursos financeiros e materiais a serem utilizados, as pessoas envolvidas nos processos e as expectativas dos clientes.

O engenheiro Wagner Gasparetto, da LPE Engenharia, informa que o “piso industrial” representa entre 8% a 10% do orçamento de um galpão. Esse valor parece pequeno, mas é preciso ter muita atenção ao analisá-lo, pois 100% das operações ocorrem sobre os pisos, portanto, todo o ritmo produtivo pode ser prejudicado se a estrutura não for de qualidade.

Se há uma rachadura no piso, por exemplo, o desempenho da empilhadeira pode ser colocado em risco. Com isso, a produção não consegue acompanhar o planejamento e a indústria perde credibilidade. Casos mais graves podem acontecer, envolvendo colaboradores em acidentes.

A qualidade do piso reforçado reflete na performance financeira da indústria. Ela está relacionada à diminuição dos gastos, aumento da velocidade operacional e ganho na notoriedade no mercado.

Quem projeta e planeja com inteligência consegue evitar problemas no futuro, como acidentes e queda no ritmo produtivo. Outro ponto muito importante está relacionado ao aumento dos gastos com manutenção, tanto nos pisos como nos equipamentos parados por falta de produção. Cada equipamento inutilizado custa muito às industriais. No final das contas, todos saem perdendo.

Como otimizar esses gastos?

Cada indústria tem características únicas, certo? A montagem de carros é completamente diferente da produção de aços trefilados para a construção civil. Existem máquinas e técnicas específicas para essas situações, portanto, é essencial analisar fatores ambientais, financeiros e de segurança antes de tomar uma atitude.

Com essas informações em mãos, é possível conhecer todos os detalhes das máquinas e os seus esforços solicitantes. A partir disso, um engenheiro consegue desenvolver um projeto eficiente do piso industrial reforçado.

A etapa de terraplanagem, por exemplo, é realizada no início de uma obra. É necessário preparar o subleito e a sub-base de acordo com o projeto do piso. Isso quer dizer que todos os procedimentos construtivos estão relacionados ao desempenho do projeto, seja na movimentação de terras, seja na quantidade de fibras incorporada ou posicionamento das armaduras.

Esses cuidados ajudam a evitar patologias e impasses na rotina de trabalho industrial.

Qual é a importância do conhecimento técnico sobre os pisos reforçados?

A mudança de postura não é algo que acontece do dia para a noite. Ainda existem muitas empresas que não estão antenadas com as novidades do mercado e o uso de técnicas sustentáveis e eficientes, como o piso reforçado. O projeto Um Piso à Frente é uma iniciativa fundamental para a melhoria de performance na construção industrial.

Em muitos casos, o projetista ou o executor do piso não tem uma visão sistêmica, que engloba a execução do piso reforçado. É preciso analisar vários parâmetros referentes ao solo e às atividades que serão realizadas. Dessa maneira, o projeto tem como principal objetivo sensibilizar e capacitar todos os profissionais envolvidos nesses processos.

A sua criação aconteceu a partir de uma parceria entre grandes empresas, a Belgo Bekaert Arames e a LPE Engenharia. Há também o apoio de instituições que regem o trabalho da engenharia civil brasileira, como a Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural (ABECE) e o Instituto Brasileiro de Concreto (Ibracon). Além de renomadas empresas da Cadeia Industrial dos Pisos que patrocinam este importante projeto, capaz de fomentar a boa engenharia e elevar a régua da qualidade dos pisos industriais no Brasil.

O programa oferece vários cursos, com temas específicos, e é dividido em módulos. Com um equilíbrio entre teoria e prática, a metodologia fornece conceitos e conhecimentos essenciais sobre o piso reforçado com fibras de aço e a sua execução.

Portanto, é muito importante conhecer mais sobre o Projeto Um Piso à Frente. Segundo o Engenheiro Wagner Gasparetto, da LPE Engenharia, 40% das obras nacionais são realizadas com formalização técnica. Em resumo, elas envolvem:

  • elaboração de projetos com especificações adequadas;
  • aquisição de materiais com base na performance esperada;
  • contratação de mão de obra especializada;
  • treinamento de funcionários;
  • segurança do trabalho;
  • acuidade operacional.

Ainda segundo ele, as questões financeiras são apenas reflexos desses fatores. O preparo e o uso de técnicas eficientes otimizam o orçamento do galpão e trazem resultados positivos com mais facilidade. Uma vez de posse do conhecimento é possível garantir o sucesso dos processos e melhorar os investimentos realizados.

Ao ler este conteúdo, você entendeu mais sobre o piso industrial reforçado e o seu papel no bom desempenho de uma indústria. Como as decisões que você toma definem o futuro do negócio, é muito importante dominar essa prática e estar preparado para superar obstáculos em sua rotina.

Uma produção segura e eficiente só é alcançada quando o piso e a estrutura do galpão são projetados e realizados de maneira correta. Isso quer dizer que não é aceitável improvisar ou agir de qualquer forma. Toda atividade deve ser baseada na disponibilidade técnica e na garantia do bem-estar dos funcionários e dos usuários da obra.

O Projeto Um Piso à Frente oferece o conhecimento necessário para realizar essas tarefas, fazer parcerias e dialogar com empresas de sucesso no mercado.

Portanto, não perca mais tempo: entre em contato conosco e descubra como é possível otimizar as suas obras com soluções sustentáveis e tecnológicas!

Deixe um comentário