7 dicas para prevenir acidentes na indústria

prevenir acidentes na indústria

Quem trabalha no setor de segurança de indústria precisa estar sempre atento ao cumprimento das normas e regulamentações em todos os ambientes de trabalho, principalmente no chão de fábrica. Mas prevenir acidentes na indústria vai muito além de simplesmente adequar a empresa e assegurá-la das fiscalizações governamentais — a ação exige mudanças na cultura organizacional.

Segundo os dados do Ministério da Fazenda, em 2017 houve uma queda de 6,2% nos acidentes de trabalho no Brasil, demonstrando que a preocupação com o assunto tem tido resultados. Porém, em 2018 ainda foram registrados mais de 800 mil acidentes no país, o que expõe a necessidade de rever os conceitos de segurança, constantemente.

Por isso, conversamos com o engenheiro Flávio Lima da Belgo Bekaert sobre como prevenir acidentes na indústria, a fim de elaborar estas dicas para você. Confira!

1. Garanta o cumprimento da norma NR-12

Criada em 8 de junho de 1978 pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a Norma Regulamentadora número 12, ou NR-12, tem como objetivo estabelecer as normas de segurança para a operação de Máquinas e Equipamentos industriais.

Mesmo abrangente, a NR-12 confere um bom suporte no que diz respeito à segurança no processo de instalação, manuseio e manutenção dos equipamentos, até o seu sucateamento.

Focando no bem-estar e na proteção dos funcionários, o texto contém 12 anexos que também abordam temas como capacitação da equipe, distâncias seguras e diretrizes específicas para diversos equipamentos utilizados na indústria, construção civil e agropecuária.

O seu cumprimento garante a adequação da empresa às fiscalizações (evitando multas pesadas), bem como assegura o bem-estar dos funcionários e a produtividade nas operações.

2. Exija o uso correto dos EPIs

É dever de toda empresa fornecer aos seus funcionários todo e qualquer Equipamento de Proteção Individual (EPI), sem nenhum custo para o colaborador. Depois disso, a gestão tem o direito de exigir que seus funcionários utilizem regularmente esses EPIs.

Os trabalhadores têm a responsabilidade de manter a própria segurança na indústria, bem como zelar pela integridade de seus colegas. Além disso, os gestores e líderes dos setores devem sempre servir de exemplo para sua equipe. Prevenir acidentes na indústria é uma questão que envolve o cuidado conjunto e faz parte da cultura organizacional, afirma Flávio.

Os EPIs devem ter o Certificado de Aprovação (CA) exigido pelo Ministério da Economia e serem condizentes com o grau de proteção exigido para cada função atribuída ao colaborador operante. Entre eles estão óculos, luvas, capacetes, botas, protetor de respiração, protetor auricular, cintos antiqueda etc.

3. Mantenha o ambiente limpo e ordenado

A desorganização no ambiente de trabalho é uma das grandes causas de acidentes. À primeira vista, uma ferramenta fora do lugar, uma caixa abandonada no meio do caminho ou um produto vazando pelo piso podem parecer inofensivos.

Porém, esses desleixos somados ao intenso fluxo de trabalho e a uma eventual falta de atenção podem ser a combinação perigosa que resulta em acidentes. Esses incidentes podem ser facilmente evitados se o hábito da organização for levado a sério na empresa.

Por essa razão, todos os funcionários, — bem como seus gestores —, devem se comprometer a manter o local limpo e organizado. Atitudes rígidas, mas simples, garantem que o trabalhador possa transitar e atuar no seu setor com tranquilidade e segurança.

4. Crie sinalizações claras 

Além dos EPIs, a empresa deve fornecer os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs). Toda linha de produção apresenta riscos inerentes às atividades que conduz, sejam eles químicos, físicos ou elétricos. Quaisquer que sejam as ameaças à segurança dos trabalhadores, elas devem ser muito bem sinalizadas.

O mesmo cuidado deve ser tomado caso um incidente ocorra. As áreas de risco devem ser devidamente isoladas, e o fato deve ser reportado aos gestores ou ao técnico de segurança imediatamente.

Entre os EPCs estão cones, alertas luminosos, faixas e placas de sinalização, sirenes, sensores de presença, bloqueios de disjuntores, garras e cadeados de bloqueio etc.

5. Treine a equipe periodicamente

Flávio reforça a ideia de que, para prevenir acidentes na indústria de modo eficaz e satisfatório, é preciso haver uma mudança na cultura organizacional da empresa. Todos os envolvidos nas operações devem estar cientes dos riscos a que estão expostos, bem como entender porque e de que modo os cuidados tomados durante o trabalho reduzem significativamente os acidentes.

Por isso, a empresa deve investir em capacitação e treinamentos periódicos da equipe, a fim de aumentar a segurança interna. Uma vez que os funcionários entendam as consequências da falta de atitudes preventivas e passem a prezar pelo seu próprio bem-estar e de seus colegas, os perigos no local de trabalho diminuem.

Um hábito se constrói aos poucos, mas para que seja fixado dentro da empresa, o treinamento deve ser contínuo e persistente. E é com a educação dos colaboradores sobre as atitudes preventivas que a cultura de segurança é estabelecida na indústria.  

6. Crie uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Toda empresa com mais de 50 funcionários tem a obrigatoriedade de apresentar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Essa equipe é formada por gestores indicados pela direção e por um representante dos trabalhadores, eleito pelos próprios funcionários.

Flávio explica que o objetivo principal da CIPA é a manutenção da segurança no trabalho, tendo como premissa a prevenção de acidentes. A comissão, portanto, identifica os perigos, os controla ou elimina e acompanha de perto a eficácia e o cumprimento das regras de seguridade.

Além disso, a CIPA é que oferece suporte aos colaboradores lesionados, acompanhando o seu afastamento e também o seu retorno ao trabalho. Mais do que isso, além do cuidado com a saúde física, a comissão cuida da saúde mental dos funcionários, promovendo campanhas de conscientização, atividades educativas e palestras.

O comitê elabora um plano de sugestões de melhorias e aborda as ferramentas comportamentais dentro dos setores, apresentando, também, as boas práticas executadas — tanto no âmbito comportamental quanto no de gerenciamento de riscos.

7. Desenvolva uma rotina de manutenção de máquinas e equipamentos

Muitas empresas ainda recorrem à manutenção das suas máquinas e equipamentos apenas quando eles apresentam problemas e estagnam a produção. A necessidade de uso constante do maquinário, a falta de tempo ou o custo de revisão são razões frequentes para a falta de manutenção preventiva.

Contudo, essa cultura de fazer somente manutenções corretivas não só afeta toda a produtividade das operações, como também aumenta o risco de acidentes com os funcionários. Isso porque, para retomar o funcionamento do equipamento, é muito provável que ele se exponha a situações que comprometem a sua segurança.

Além disso, as máquinas que não são revisadas periodicamente estão mais sujeitas a apresentar curtos circuitos, elevando o risco de afetar a integridade física de quem estiver por perto.

Por isso, equipamentos que estão em más condições ou apresentando defeitos, devem ter seu uso suspendido imediatamente, até que o problema seja solucionado. Entretanto, para reduzir os riscos de acidentes e os custos com consertos ou substituição de maquinário, a manutenção preventiva é crucial.

Promover ações para prevenir acidentes na indústria é uma missão árdua e extensa. Contudo, as boas práticas relacionadas à Segurança no Trabalho são fundamentais para o crescimento de qualquer empresa, visto que um ambiente seguro e saudável proporciona o bem-estar dos funcionários, melhora o clima organizacional e aumenta a produtividade no setor.

É essencial conhecer todas as soluções possíveis que reduzam os riscos de acidentes no local de trabalho. Por isso, complemente a sua leitura e saiba, agora, tudo sobre o cercamento no setor industrial e seus usos!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário