Ponte de Ilhéus: saiba como está sendo a construção da primeira ponte estaiada da Bahia

ponte de ilhéus

Há cerca de 20 anos, a população de Ilhéus/BA, almeja por uma ponte que conecta o centro da cidade ao sul do município. Agora, esse desejo está prestes a ser atendido.

E mais: esta será a primeira ponte estaiada da Bahia. Com mão de obra qualificada, a construção dessa conexão entre as regiões está sendo feita pela OAS Engenharia e utilizando materiais da Belgo Bekaert Arames, garantindo ainda mais qualidade ao resultado.

Está curioso para saber mais sobre a construção desta obra de arte e quando ela ficará pronta? Confira o que o Suzano Menezes — gerente de contratos da OAS Engenharia —, nos contou sobre esta grandiosa obra!

A escolha da solução 

Como já citado, a ponte de Ilhéus será a primeira ponte estaiada da Bahia. A escolha por esse tipo de estrutura de grande porte aconteceu devido às condições do local em que ela está sendo construída: no foz do rio Cachoeira com o mar.

A área é um canal de navegação pelo qual passam, diariamente, muitos barcos pesqueiros de trabalhadores locais da região. Sendo assim, Suzano explica que se ela fosse uma estrutura convencional, seria necessário utilizar apoio náutico e balsa. Consequentemente, interfeririam na pesca local e no comércio da região. 

Por esse motivo, foi escolhido o modelo estaiada, em que a ponte é suspensa por cabos que se encontram em um único mastro. Além da preocupação com a atividade dos pescadores, um dos objetivos dessa construção é aproveitar a beleza da estrutura também como uma forma de potencializar o turismo da região, tornando-a um cartão postal de Ilhéus.  

Construindo a ponte

De acordo com o gerente da OAS, a obra começou no final de 2016 e tem previsão de conclusão no final de 2019. Para a construção, a empresa de engenharia contou mais uma vez com os materiais da Belgo Bekaert Arames. 

Essa relação de parceria das duas organizações já tem mais de doze anos e deve-se ao bom atendimento por parte da Belgo, assim como à qualidade dos materiais fornecidos, segundo Suzano. Para a construção da ponte de Ilhéus, estão sendo utilizadas dois tipos de cordoalhas da Belgo. 

São 327 toneladas de cordoalhas galvanizadas e enceradas, revestidas de PEAD usadas para a sustentação dos cabos da ponte. Esse produto é utilizado principalmente em estaiamento de pontes e possui elevado controle de produção e qualidade. Uma vez que possui zincagem dupla e matéria-prima de alto desempenho, com elevada pureza. Além disso, assim como os demais produtos da Belgo, as cordoalhas galvanizadas são produzidas com a maisalta tecnologia disponível no mercado e contam com todas as certificações da ABNT. 

Há, ainda, 158 toneladas de cordoalhas aderentes, que serão utilizadas para as protenção das aduelas e do tabuleiro da ponte. O engenheiro Suzano explica que a estrutura da ponte consiste na aplicação de alta tecnologia do concreto protendido. As cordoalhas aderentes garantem a ligação das aduelas, que formarão os balanços sucessivos da ponte. Que por sua vez, irão dar sustentação ao tabuleiro que servirá de pista de rolamento para os veículos. Os cabos de estais sustentarão as cargas de toda a estrutura da ponte e serão engastados em um único mastro central, propiciando assim a adoção de grandes vão e mínima interferência na economia pesqueira local.

Por utilizar itens da Belgo Bekaert, a OAS conta com todo o know-how dos nossos engenheiros de aplicação e assistência técnica, atuando no auxílio a soluções de engenharia e otimização de processos dentro do escopo da obra. Acreditamos que o sucesso da obra também está diretamente relacionado às boas práticas executivas utilização de produtos de qualidade. Por esse motivo, um acompanhamento por um técnico especialista do fornecedor é imprescindível.

A opção pelo uso de balanços sucessivos pela equipe de engenharia responsável reduz o impacto na navegação existente no local. Esse processo de construção é utilizado em estruturas de pontes que não têm apoios construtivos e podem apresentar vãos na ordem de 300m. Uma vantagem desse método é a economia de recursos, uma vez que não há a necessidade de criar pilares como nas estruturas convencionais. 

Sobre a capacidade de estrutura da ponte de Ilhéus 

Quando finalizada, a ponte de Ilhéus terá 533 metros de extensão total, contando a sua seção transversal, que terá 24,30 metros. Para a sustentação, serão usados 46 estais fixados ao mastro de mais de 90 m de altura.

Diante do exposto, Suzano conta que estão previstas duas faixas de veículos em cada sentido — o dobro da capacidade existente. Além disso, a ponte também contará com ciclovia e uma via de pedestres. Todo esse desenvolvimento vai além da ponte, estendendo-se para os três quilômetros de sistema viário de acesso, que será entregue junto com a ponte. 

O que mudará com a ponte de Ilhéus

A ansiedade da população para a entrega da obra refere-se ao problema crônico no trânsito da região. De acordo com Suzano, pelo pequeno acesso atual passam cerca de 9 mil automóveis por dia e o fluxo de carros é muito intenso, principalmente, no início e final do dia. O que acarreta engarrafamento de longa duração para pequenos trechos de deslocamento. O congestionamento não ocorre apenas nos dias úteis, mas também nos finais de semana, no qual o atual caminho é rota de turismo para aproveitar as praias do trecho sul de Ilhéus. Com a ponte estaiada, poderão circular o dobro de carros proporcionando maior conforto à população

Além do trânsito, o governo da região investe fortemente no turismo. Com a obra concluída, espera-se estimular a visitação da cidade e suas praias. Dessa forma, empregos serão gerados e, consequentemente, haverá a melhoria da renda de muitas famílias. O governo da Bahia estima que 511 mil pessoas, — dentre elas, moradores de Ilhéus, Itabuna, Una, Canavieiras, Buerarema, Itacaré e Uruçuca —, serão beneficiados com a inauguração da nova ponte. 

Assim, compreendem-se os motivos de tanta ansiedade da população de Ilhéus e região para a receber essa obra e poder usufruir do conforto urbano. Afinal, além de facilitar a vida de muitas pessoas e proporcionar novos negócios e oportunidades para a cidade, a ponte de Ilhéus deixará a cidade mais bonita e terá um novo cartão postal. 

A importância social de um empreendimento como este exige a utilização de materiais certificados, além de mão de obra qualificada para manuseio de insumos. Se deseja que a sua obra tenha o máximo de segurança, assistência técnica, materiais produzidos com a mais alta tecnologia e as melhores matérias-primas, entre em contato com um de nossos consultores comerciais!

Gostou de saber mais sobre essa novidade?Entre em contato conosco, agora mesmo, e saiba como ter os materiais da Belgo Bekaert Arames na sua construção também!

Deixe um comentário