Planejamento de obras: veja como otimizá-lo de forma eficiente

Planejamento de obras: veja como otimizá-lo de forma eficiente

A construção civil pode parecer voltada somente para a ação (o ofício de erguer paredes e formar edifícios) aos olhos de quem não é da área. Por outro lado, sabe-se que o trabalho de um bom profissional está muito mais relacionado ao planejamento de obras do que às construções propriamente ditas.

No mercado brasileiro, infelizmente, essa não é sempre a realidade. Empresas que utilizam cálculos rasos e não levam em conta as especificidades de cada obra tendem a perder tempo e dinheiro. Em meio aos problemas de orçamento de obra, talvez elas não percebam o tamanho do erro cometido.

A boa notícia é que o planejamento de obras está cada vez mais simples com o auxílio das novas tecnologias, como o BIM na construção civil. Acompanhe a leitura deste artigo para entender como potencializar o seu trabalho!

Como fazer o planejamento?

O planejamento de obras está presente desde os primeiros rascunhos, entrega do resultado e prestação de contas. Toda despesa deve ser computada, o tempo de cada etapa precisa ser realmente estimado e todos os detalhes logísticos precisam ser pensados.

Imprevistos acontecerão e muitas vezes não poderão ser evitados. Ciente dessa realidade, o gestor deve manter alguma flexibilidade de recursos e prazos para não ser pego de surpresa. O que não pode faltar:

  • análise de viabilidade: certifique-se de que o projeto é rentável e se a empresa tem os recursos para fazer esse investimento;
  • visita de campo: avalie a área, conheça as suas especificidades e observe se é preciso fazer adaptações no projeto;
  • orçamento de obra: inclua todos os itens físicos (ferramentas e material), os serviços e demais despesas (água, luz, impostos);
  • cronograma físico-financeiro: relacione cada etapa de construção com os prazos e as despesas envolvidos;
  • aplicação supervisionada: o planejamento não é um exercício mental — faça valer na prática durante toda a obra para que haja uma gestão de qualidade.

Quais são os benefícios do planejamento?

Se você cumpriu todos os critérios de um bom planejamento, podemos dizer que a sua obra já está encaminhada para o sucesso. Quando a gestão consegue idealizar e aplicar o planejamento, temos vantagens como:

  • os custos da obra tendem a cair;
  • a mão de obra fica mais bem direcionada, trabalhando de forma mais eficiente e ágil;
  • a segurança na obra aumenta — não se esqueça de colocar EPIs e EPAs no seu planejamento;
  • os gargalos logísticos (como entrega de material, organização de turnos, obtenção de licenças) são resolvidos antes de se tornarem um problema;
  • ausência de atrasos na obra, tornando os empreendimentos mais lucrativos e contribuindo para a boa imagem da empresa no mercado.

Quais são as consequências do mau planejamento?

Ao contrário de uma empresa que faz um bom planejamento de obras, uma construtora que executa projetos sem o devido controle das variáveis está sujeita a:

  • descontrole dos prazos, o que a deixa presa por muito tempo em um projeto, aumentando os gastos com mão de obra;
  • ajustes constantes no orçamento, devido a acidentes e outras casualidades que poderiam ter sido previstas e evitadas;
  • obra parada por questões logísticas ou legais;
  • canteiro de obra desorganizado, gerando entropia e desperdício de recursos;
  • índice elevado de absenteísmo por questões de saúde ou por falta de gerenciamento de projeto.

Portanto, é evidente que o planejamento pode mudar completamente o rumo da empresa. Se você quer se organizar de forma eficiente, conte com um software de gestão de obras, um ERP voltado especificamente para a construção civil. Essa ferramenta é essencial para tornar o processo mais ágil e seguro.

Este texto ajudou você a melhorar o planejamento das suas obras? Se ficou com alguma dúvida ou deseja compartilhar uma experiência, estamos aqui para ouvir: deixe o seu comentário!

 

Deixe um comentário