A aplicação de fibras de aço nas construções rurais ou agroindustriais

Guia completo sobre aplicação de fibras de aço na construção civilPowered by Rock Convert

As atividades agropecuárias utilizam cada vez mais novas tecnologias para garantir a qualidade da produção. Dessa forma, é muito importante ter estruturas, como galpões, garagens e currais, adequadas às exigências do mercado. Nessas horas, o uso de fibras de aço é algo que não pode faltar em seus projetos, já que elas melhoram o desempenho das atividades e evitam dores de cabeça em sua rotina.

Ao ler o nosso blog, você se depara com os assuntos mais relevantes para o sucesso da engenharia civil, e é realmente necessário estar antenado com as novidades do mercado para prestar um serviço de qualidade e seguro. Por isso, hoje falaremos das fibras de aço, pois representam um tema que otimiza o desempenho de uma obra.

Dessa forma, você deve conhecer muito bem essa tecnologia e qual é a sua aplicação, mas por ser uma prática nova, a adição desse elemento no concreto ainda gera dúvidas e incertezas.

Essas questões fazem com que muito profissionais deixem de utilizar as fibras de aço nas construções rurais ou agroindustriais, colocando em risco a obtenção de resultados positivos e a continuidade da produção.

Em meio a esse cenário, este post dá exemplos e explica como esses processos funcionam. Aproveite.

Quais são os usos de fibras de aço em construções rurais ou agroindustriais?

As atividades agropecuárias são formadas por inúmeras técnicas, variados animais, produtos e trabalhadores. Apesar dessas atividades serem diferentes, é necessário realizá-las corretamente, a fim de atender às demandas do mercado.

Como as exigências e o ritmo de produção são elevados, o ambiente rural está se tornando cada vez mais tecnológico e eficiente. Hoje, uma fazenda ou uma agroindústria é enxergada como uma empresa, com vários setores, trabalhadores, equipamentos e investimentos. E a infraestrutura precisou acompanhar esse crescimento.

Na hora de realizar um projeto de engenharia para pisos, é possível escolher entre duas metodologias: os pisos convencionais e os pisos reforçados com fibras de aço.

A primeira opção é mais trabalhosa porque exige o posicionamento correto das armaduras contínuas, já que o concreto é frágil à tração. Na maioria dos casos, esse reforço é feito a partir de malha de tela soldada.

É preciso colocá-la no terço superior da placa de concreto. O desafio do engenheiro está em garantir o posicionamento perfeito da tela. A simples movimentação de funcionários é capaz de removê-las do lugar e prejudicar a transferência de carga no piso.

Já as fibras de aço oferecem um reforço descontínuo e a resistência necessária à mistura sem que esses cuidados sejam necessários. Desse modo, o meio rural e as agroindústrias utilizam a solução em:

  • estábulos de produção leiteira;
  • currais de manejo;
  • pequenos galpões de armazenagem;
  • oficinas de máquinas;
  • garagem de equipamentos;
  • galpões para beneficiamento;
  • pátios a céu aberto para secagem de grãos.

Percebe-se, então, que as fibras de aço podem ser aplicadas em qualquer situação que demanda segurança, eficiência e qualidade na produção agrícola.

Por que elas são tão benéficas?

O Concreto Reforçado com Fibras de Aço (CRFA) fornece um reforço descontínuo e aleatório do piso. Isso quer dizer que há milhares de “agulhas” de aço no concreto que garantem a resistência do material. Apesar de serem finas e dispersas, elas estão presentes em todas as seções do concreto, otimizando o controle de fissuração. Além disso, essa tecnologia cria as seguintes vantagens em obras:

Confiabilidade

O projeto de um piso não pode ser feito de qualquer forma. É preciso analisar inúmeros fatores, como as condições do solo, as atividades da gestão e os profissionais envolvidos. O CRFA controla o aparecimento de trincas e fissuras, garantindo confiabilidade ao material. Desse modo, o engenheiro reduz as chances de patologias no concreto.

Durabilidade

As microfissuras do CRFA são mais fechadas, ou seja, os agentes agressores não conseguem penetrar com facilidade. O piso de um frigorífico que utiliza armaduras convencionais, por exemplo, pode sofrer ação de matéria orgânica em seus componentes. Com isso, tem-se corrosão das armaduras. O produto da corrosão do aço provoca uma expansão volumétrica que pode danificar a estrutura e atrapalhar a performance de quem o utiliza.

Ao aplicar fibras de aço no projeto, você garante a durabilidade e precisa realizar menos manutenções no piso.

Economia

As questões financeiras são essenciais para ter êxito em qualquer setor — e não poderia ser diferente para as construções rurais. Os custos do CRFA são menores que a metodologia convencional em alguns casos. Ademais, é possível gerar uma economia de 20% no orçamento com fibras de aço em comparação ao concreto de malha dupla.

Outro ponto muito importante está relacionado à redução de acidentes e paralisações produtivas. As máquinas agroindustriais são pesadas e geram grandes cargas nos pisos. Os esforços de tração criam trincas e atrapalham o desempenho da estrutura.

Em situações mais graves, acidentes acontecem e equipamentos estragam. Essas consequências geram despesas inesperadas, como indenizações trabalhistas e compras de novas peças.

Assim sendo, as fibras de aço evitam essas ocorrências e melhoram a sua rotina de trabalho.

Como funciona o Concreto Reforçado com Fibras de Aço?

Provavelmente, você está se perguntando como aplicar essa solução em seus projetos, certo? Antes de tomar qualquer atitude, é necessário compreender o funcionamento da tecnologia.

No caso do CRFA, você deve dimensionar a dosagem de fibra por m³ de concreto. Em muitos casos, esse valor está entre 25 e 35 kg/m³. É possível adicionar as fibras de aço junto com os agregados do concreto na usina quando a distância até a obra não é considerável. Você pode optar por adicioná-las no caminhão betoneira ou na betoneira do canteiro também.

Os cuidados mais importantes estão relacionados ao processo da mistura. Nunca adicione as fibras de aço como primeiro elemento. O correto é colocá-las após a brita e a areia, a fim de evitar a formação de ouriços de aço.

Não se esqueça de manter a concentração da argamassa superior a 52% também. Com isso é possível cobrir as fibras posicionadas mais próximas à superfície do piso.

Quem não toma essa atitude tem sérios problemas com a afloração do material e a perda de qualidade e resistência da estrutura. Pois se as “agulhas” de concreto emergir, pode acontecer de machucar os cascos de animais, nas aplicações em ambientes de manejo de gado, por exemplo.

Em todas as situações, sempre consulte um especialista técnico para orientá-lo na hora de tomar decisões na obra.

Um engenheiro é um profissional que não pode parar no tempo. A todo momento surgem tecnologias e práticas que otimizam a sua rotina de trabalho. As fibras de aço são exemplos de materiais que melhoram o desempenho de um piso e trazem segurança aos seus usuários.

Agora que você já sabe mais sobre as fibras de aço e as suas aplicações nas construções rurais ou agroindustriais, assine a nossa newsletter e fique por dentro dos assuntos mais modernos da engenharia civil!

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.