Compatibilização de projetos: o que é, quais são as vantagens e como colocar em prática?

  • Home
  • Construção Civil
  • Compatibilização de projetos: o que é, quais são as vantagens e como colocar em prática?
compatibilização de projetos

Neste texto, explicaremos como a compatibilização de projetos ajuda a cortar os custos, reduzir o número de erros e diminuir o desperdício em uma construção. Veja as formas de colocá-la em prática!

A produtividade na construção civil é consequência de uma série de fatores, concorda? Nesse sentido, algumas tarefas multidisciplinares, como a compatibilização de projetos, podem contribuir para que a execução fique alinhada às expectativas de todos os envolvidos.

Para que você saiba mais a respeito desse tema tão relevante, conversamos com Roberto Coelho, que é engenheiro civil da Racional Sistemas — empresa que está há mais de vinte anos no mercado e tem cerca de oitocentos mil metros quadrados construídos.

Ao longo do texto, mostraremos quais são os benefícios desse procedimento, como ele pode ser utilizado e os principais erros que cometidos no processo. Boa leitura!

O que é a compatibilização de projetos?

De acordo com o especialista, no tocante às alvenarias, a compatibilização de projetos consiste na adequação geométrica e estrutural das paredes às fundações que irão suportá-las. O objetivo é ajudar a minimizar o potencial aparecimento de manifestaçõespatológicas durante a vida útil da edificação.

Ela cumpre a missão de verificar o que foi traçado pelos vários projetistas que podem fazer parte de uma construção. Nesse caso, a ideia é evitar interferências entre o que pensaram os responsáveis pela parte elétrica e pela hidráulica, por exemplo. Portanto, podemos afirmar que ela integra as soluções encontradas para a execução do projeto — das instalações às decisões arquitetônicas e concepções estruturais.

Ou seja, a compatibilização é uma prática que se vale da sobreposição de todos os projetos antes de a construção ser iniciada. O intuito é encontrar soluções apropriadas para as demandas do empreendimento, dentro do que foi estabelecido por quem contratou tais serviços. Entre os projetos costumeiramente analisados nessa etapa, podemos citar:

·        instalações elétricas;

·        impermeabilização;

·        combate e prevenção de incêndios;

·        estruturas;

·        instalações hidrossanitárias;

Uma exemplificação que torna fácil de entender a necessidade da compatibilização é a eventual interferência entre vigas e tubulações. Ao identificar essa complicação com antecedência, a respectiva correção tende a apresentar um custo bem menor do que quando realizada com a obra em andamento.

Quais são as vantagens da compatibilização de projetos?

Como mencionado no tópico anterior, a economia desponta como um dos maiores benefícios obtidos pela compatibilização. Isso porque o processo analisa o projeto ainda no estágio de elaboração, evitando que haja incompatibilidade na construção — que é uma das maiores causas de desperdício.

De acordo com alguns especialistas, isso gera uma grande economia em relação ao custo total do empreendimento. Assim, com o apoio das tecnologias adequadas, é viável deixar o projeto mais sustentável e econômico. 

Outra vantagem proporcionada por esse processo é a aproximação e o alinhamento entre todos os envolvidos no projeto. Na prática, isso garante que a edificação seja construída de acordo com o que foi idealizado.

Quais erros evitar durante o processo?

Para Roberto, existem alguns erros comuns cometidos ao longo da compatibilização e é preciso evitá-los para alcançar o máximo de eficiência na hora de elaborar o projeto.

Grande parte desses equívocos está associada à incapacidade de entender o comportamento conjunto formado entre estrutura e alvenaria. Por consequência, o engenheiro recomenda não focar apenas na adequação geométrica dos blocos à estrutura, porque também é imprescindível entender as deformações. Segundo ele, isso é importante para compreender os esforços que as paredes suportarão ao longo de sua vida útil.

Para otimizar o processo, Roberto indica uma preparação prévia a fim de analisar a forma como a edificação será construída. Tal processo deve contemplar as etapas da construção, o cronograma e as propriedades físicas e geométricas dos materiais a serem empregados, em todas as fases da execução da obra.

Segundo o especialista, é preciso dar prioridade às fases de especificação dos materiaise definição da estrutura, sendo que uma deve ser realizada imediatamente após a outra.

Como realizar a compatibilização de projetos? 

Levando em consideração que um condomínio residencial ou corporativo com dez mil metros quadrados, aproximadamente, demora de dez a doze meses para ser desenvolvido, é fundamental contar com o apoio de todos os profissionais na compatibilização antes de a obra sair do papel. Veja a seguir algumas das formas populares de alinhar a compatibilidade.

Verificação manual

A verificação manual ocorre a partir do contato com os projetos impressos de maneira separada. É um método tradicional, bastante utilizado antes da popularização do acesso aos computadores e a outras tecnologias da construção civil.

Com o custo mais baixo entre as opções disponíveis, essa metodologia oferece um grande número de riscos, visto que a análise é feita a olho nu e não possibilita a verificação de possíveis interferências. No mais, tem-se a demora como outro ponto negativo.

Programas CAD 2D

A utilização de programas CAD 2D é comum no mercado da engenharia civil e apresenta mais eficiência que a verificação manual. Contudo, por não possibilitar a visualização total dos detalhes da planta, como seus cortes e elevações, esses softwares devem ser combinados com outras metodologias, possibilitando que haja uma detecção completa de interferências.

Modelos 3D

Os modelos 3D são considerados melhores do que o CAD 2D, porém, não viabilizam uma visualização completa dos estudos e impactos de cada um dos projetos. Sendo assim, não se trata da solução ideal.

Modelagem da Informação

Para muitos dos que atuam na área, essa é a melhor maneira de avaliar a compatibilidade. Isso porque ela abrange projetos concebidos em BIM, que são modelados em 3D e ainda contêm elementos paramétricos.

Nessa modalidade de concepção, o desenho é feito junto aos dados que são relevantes para avaliar interferências e fazer simulações. Sendo assim, as revisões e o desperdício de materiais tendem a diminuir consideravelmente.

A compatibilização de projetos é uma técnica que exerce grande impacto sobre os resultados de uma obra. Portanto, se você pretende reduzir os custos durante a elaboração e aumentar a produtividade na execução, ela é uma atividade essencial.

Este conteúdo foi útil para você? Então, aproveite para entender como fazer a integração entre o projeto arquitetônico e estrutural e o melhor aproveitamento espacial de garagens!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário