Planejamento e controle financeiro em loja agropecuária: 6 dicas para deixar as contas em dia

planejamento e controle financeiro

Um dos maiores desafios de um empresário é administrar as finanças do negócio. Quem tem uma loja agropecuária não precisa entender apenas dos produtos que revende, mas também de conhecimentos essenciais para o empreendedorismo. E alguns dos principais são exatamente planejamento e controle financeiro.

Gerir o dinheiro de maneira eficiente permite que você mantenha sua loja em pleno desenvolvimento. Afinal, quando você precisa tomar uma decisão para o negócio, das menores às maiores, deve levar em conta sua capacidade financeira. Então, que tal aprender a deixar as contas sempre em dia? Confira nossas dicas!

1. Realizar projeções financeiras

As projeções sempre fazem parte do cotidiano de um empreendedor. Antes mesmo de abrir a empresa, é importante montar um plano de negócio que, basicamente, traz o que você espera e planeja para a sua loja. De tempos em tempos, esse plano precisa ser revisto e atualizado.

O planejamento financeiro acontece da mesma forma. Administrar uma loja é diferente de gerir seu orçamento pessoal, pois não basta acompanhar as entradas e saídas de dinheiro. É preciso, ainda, projetar receitas e despesas com base na análise do mercado e nas suas decisões.

Assim, o planejamento e controle financeiro de uma empresa é uma tarefa complexa. Para conseguir projeções realistas, o primeiro passo é analisar o histórico da loja — avaliando as compras e vendas dos últimos períodos. Com isso, você pode perceber dados relevantes, como a sazonalidade da demanda.

A partir da análise dessas informações, torna-se viável preparar o orçamento para os gastos esperados para cada período, assim como para investimentos que você deseja fazer no crescimento da loja. É claro que, nem sempre, as coisas acontecem como o planejado. Então, é importante também considerar uma reserva para imprevistos.

2. Registrar todas as operações

As projeções financeiras que explicamos no tópico anterior dizem respeito à etapa de planejamento do seu negócio. Ou seja, embora seja necessária, ela não condiz totalmente com a realidade. Por isso, o lojista não pode se basear apenas nos seus projetos — é preciso também acompanhar de perto o que acontece no fluxo de caixa.

Esse controle só é possível por meio do registro de todas as operações financeiras. Isso quer dizer que uma gestão eficiente envolve muita organização. Portanto, não deixe de anotar os gastos quando pagar alguma conta ou realizar uma compra. Da mesma forma, é muito prejudicial perder o controle das vendas que realiza.

Somente as anotações de todas as movimentações financeiras é que vão permitir que você conheça, de fato, como está a sua empresa. Do contrário, há o risco da sua visão sobre ela estar distorcida (o que pode causar dificuldades e prejuízos). Sendo assim, a ideia não é que os registros fiquem parados em pastas ou em um programa de computador — o lojista precisa usar esses dados para tomar suas decisões.

3. Identificar gastos supérfluos

Assim como nas finanças pessoais, uma loja também pode ter custos desnecessários. Para identificá-los, você precisa analisar suas contas com atenção. Os gastos supérfluos podem ir desde coisas simples, como um serviço, até processos maiores, como uma compra mal planejada.

O corte ou a redução desses custos pode fazer muita diferença na saúde financeira da empresa. Pensando nisso, olhe para seus registros de gastos e reflita sobre as possibilidades de diminuir alguns deles. Pode parecer uma tarefa difícil, mas é uma questão de hábito até você apurar o olhar e conseguir tomar decisões mais rápidas e eficientes.

4. Analisar frequentemente as finanças

O planejamento e controle financeiro não é algo que você realiza uma vez por ano e esquece de lado. Na verdade, ele deve fazer parte do dia a dia do seu trabalho. Assim como é preciso renovar o estoque e atender aos clientes, é necessário planejar e controlar as finanças.

Essas ações devem estar incluídas entre suas tarefas rotineiras. Por isso, não deixe de realizar o acompanhamento constante das suas movimentações financeiras e dos objetivos que você tem para o negócio. Lembre-se de que manter o foco nas metas é essencial para conseguir alcançá-las.

Em qualquer planejamento, deve haver a etapa de mensuração dos resultados. Dessa forma, é preciso rever o que foi projetado e comparar com a realidade conquistada. Com isso, é possível conhecer os efeitos positivos e identificar pontos que necessitam de melhorias.

5. Evitar a inadimplência

Um fator que atrapalha muito o crescimento das empresas no Brasil é a inadimplência. As dívidas e as dificuldades de pagamento, infelizmente, são problemas que circulam a realidade do brasileiro. Em consequência disso, os lojistas precisam se preparar para aumentar a proteção contra esse risco.

Lidar com a inadimplência afeta todo o planejamento e controle financeiro do negócio. Afinal, sem receber o dinheiro que lhe é devido, o empresário passa a ter dificuldades para honrar os compromissos com seus fornecedores e continuar investindo no desenvolvimento de sua empresa.

Se você não quer passar por esse problema, tome precauções em relação às formas de pagamento e cobrança. A maneira mais segura de realizar vendas a prazo é não depender de acordos informais. Trabalhar sempre com a máquina de cartão de crédito, por exemplo, evita que a falta de pagamento afete suas contas.

Outra forma de reduzir os efeitos da inadimplência é estimular as compras à vista. Isso pode ser feito com promoções atrativas e abatimentos oferecidos para quem escolhe pagar dessa forma. Também é possível criar campanhas de fidelidade com clientes que mantêm os pagamentos em dia.

6. Separar as finanças pessoais das profissionais

Por fim, temos uma dica essencial: embora o negócio seja seu, a maneira mais saudável de fazer o planejamento e controle financeiro dele é separando totalmente suas finanças pessoais e profissionais.

Portanto, nada de retirar dinheiro do caixa a qualquer momento para resolver alguma pendência pessoal! Da mesma maneira, também não é ideal que você tenha que mexer nas suas contas pessoais para socorrer a empresa.

Então, como garantir que essas ações não sejam necessárias? Mantendo um bom controle tanto do seu orçamento pessoal quanto das finanças da empresa! Na prática, considere a realidade do negócio para definir seu salário mensal e esteja sempre de olho nas necessidades de reinvestimento antes de fazer a retirada dos lucros.

Nem sempre é simples realizar o planejamento e controle financeiro de uma loja agropecuária. Se você entende muito sobre a atividade rural, mas não tem facilidade para fazer essa administração, uma boa estratégia é utilizar ferramentas tecnológicas para otimizar essa função. Contratar um profissional da área também pode ser útil.

E então, gostou de saber mais sobre o assunto? Continue no blog e saiba o que muda depois da nova lei da nota fiscal eletrônica!

Deixe um comentário