Melhores práticas para o confinamento de gado bovino

  • Home
  • Pecuária
  • Melhores práticas para o confinamento de gado bovino
Melhores práticas para o confinamento de gado bovino

O confinamento de gado bovino é uma das etapas mais importantes da produção agropecuária. No entanto, como fazê-la da forma adequada? Em que momento ele se torna necessário para os gados de corte ou de leite? De quais formas ele interfere na produtividade?

Pensando nessas questões, elaboramos este texto. Durante a leitura, você encontrará as melhores práticas para esse momento tão relevante. Vá até o fim do texto para saber mais a respeito e melhore o seu confinamento.

Boa leitura!

Quando devo realizar o confinamento?

Em poucas palavras, podemos dizer que isso varia bastante de produção para produção. Vale lembrar que o confinamento nada mais é do que um sistema de criação. Nele, lotes de animais são fechados em espaços com áreas restritas próprios para essa finalidade.

Quando confinados, é fundamental alimentar os gados. Os alimentos, por sua vez, são fornecidos em linhas de cocho e a água, em bebedouros.

Geralmente, o mais indicado é que esse processo seja realizado durante os períodos de seca. Afinal, nessas épocas, ocorre uma escassez na forragem para o pastejo dos animais. Portanto, torna-se mais estratégico, do ponto de vista do negócio, utilizar o confinamento para melhorar a qualidade da carcaça e otimizar a criação.

Ainda assim, fazer um bom confinamento requer bastante planejamento de quem trabalha na área, porque há uma série de cuidados para se tomar durante esse período. As especificidades climáticas do inverno brasileiro, por exemplo, podem causar alguns problemas indesejáveis para o gado confinado.

A forma de confinamento interfere na produção? Entenda!

Os confinamentos bem planejados e executados originam animais mais fortes, sadios e robustos. Por consequência, há como obter melhores produtos e alcançar melhores oportunidades de negócio a partir desse tipo de prática.

Se empregado estrategicamente — e com foco no bem-estar dos animais —, a produção tende a ser bastante satisfatória. Assim, os lucros da atividade pecuária podem aumentar em um período costumeiramente marcado pela queda natural de produtividade, tendo em vista as consequências que a seca pode causar ao pasto.

Quais as vantagens de realizar o confinamento de bovinos?

Conforme mencionamos nos tópicos anteriores, a principal vantagem pode ser notada no ganho de produtividade que o confinamento pode trazer, já que o ressecamento do pasto pode comprometer bastante o desenvolvimento do gado.

De qualquer modo, essa vantagem só se tornará perceptível a partir de um bom planejamento, já que a estrutura, os materiais e as técnicas utilizadas são os grandes segredos por trás do sucesso de um confinamento bovino.

O bem-estar animal dos confinamentos pode ser um diferencial em sua produção. Em outubro de 2017, o site do Globo Rural publicou uma matéria que exemplifica isso muito bem. Na reportagem, são destacados os métodos usados por uma fazenda de Minas Gerais para tratar melhor os gados, para que eles cresçam mais saudáveis e não sofram com doenças e afins.

A publicação ressalta que, durante o manejo, nenhum instrumento como ferrão ou bandeira é usado e os vaqueiros nem precisam tocar no gado. Além de um período de adaptação dos animais no pasto, alguns cuidados são tomados antes de submetê-los às vacinações e outros estresses. A medida foi tomada como uma maneira de diminuir a incidência da pneumonia bovina no confinamento.

Como estruturar o sistema de confinamento?

Isso depende, é claro, da estrutura de sua fazenda e dos recursos disponíveis para desenvolver um sistema do gênero. Em relação ao espaço total, é possível tomar como parâmetro a medida de 15m² por cabeça. Sendo assim, em um confinamento para 20 gados, por exemplo, teríamos uma área de 300m².

Feito isso, é preciso dimensionar corretamente o cocho, para cuidar da nutrição dos animais. Em média, são utilizados 50cm de cocho por cabeça. Os tipos de cocho mais comuns são o “u” e o “j”, mas também existem outras opções no mercado. O cocho de plástico é o preferido de muitos produtores por ser uma alternativa mais econômica. A capacidade dos bebedouros deve ser calculada considerando a razão de 10 litros por cabeça — usar uma boia pode ser útil no sentido de evitar o desperdício de água.

Já o piso deve ser estruturado com o objetivo de não facilitar o acúmulo de lama, principalmente nas proximidades do cocho. Assim sendo, é válido colocar concreto nessa região do confinamento.

Saiba que a lama, principalmente quando a chuva resolve aparecer, contribui para a ocorrência de pododermatites. Dessa forma, quando alguns gados aparentarem podridão nos cascos, estiverem mancando ou apresentarem sintomas semelhantes, é necessário recorrer ao tratamento veterinário, para que não se estressem, prejudicando a produtividade da criação.

As cercas nos entornos do confinamento também precisam de planejamento, para que os gados não se machuquem ou fujam. Dependendo da região, os Arames utilizados no cercamento podem ser o ovalado/Liso, Cordoalha Remanga (3fios) e Cerca Elétrica

Quais cuidados tomar no confinamento de gado bovino?

Levando em consideração que o bem-estar dos animais deve ser priorizado, é fundamental ficar de olho nas principais enfermidades que acometem os gados confinados.

No período o seco, as noites são frias e os dias são quentes em muitas regiões do Brasil. Em virtude desse fenômeno de inversão térmica, muita poeira é formada, podendo causar a temida pneumonia bovina. Quanto mais rápido o diagnóstico, mais ágil é o tratamento. Por isso, é imprescindível ter atenção aos sintomas nos animais. Nesses casos, os gados normalmente são tratados com antibióticos e anti-inflamatórios, mas somente um veterinário capacitado pode fazer o tratamento com precisão.

Animais que parecem cambalear ou demonstram falta de coordenação nos movimentos também precisam de avaliação imediata, já que podem sofrer da polioencefalomalacia.

Outros cuidados gerais são:

  • fornecer água abundante e de qualidade;
  • manter as baias raspadas para minimizar a formação de lama;
  • monitorar a temperatura diariamente;
  • fazer ajustes alimentares de acordo com as mudanças climáticas;
  • analisar todos riscos envolvidos na criação;
  • ser fiel às projeções e ao planejamento inicial.

Enfim, o confinamento de gado bovino certamente é um desafio para os pecuaristas. Ainda assim, ele pode trazer muitas vantagens em termos de produtividade. Basta ter atenção às boas práticas ligadas a esse sistema.

Se você gostou do texto, compartilhe-o em suas redes sociais e não se esqueça de marcar os colegas que também trabalham nessa área!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário