Estrutura para confinamento de gado: como otimizar para gerar lucro?

  • Home
  • Pecuária
  • Estrutura para confinamento de gado: como otimizar para gerar lucro?
Estrutura para confinamento de gado: como otimizar para gerar lucro?

Em uma produção pecuária, a estrutura para confinamento de gado pode ser um dos elementos mais importantes em relação à rentabilidade. Afinal, a forma como ela é organizada pode influenciar diretamente nos resultados e lucros obtidos.

Levando isso em consideração, elaboramos este artigo. Ao longo do texto, você entenderá por quais razões essa estruturação é tão relevante para a criação e de quais formas elas influenciam na produtividade.

Aproveite o conteúdo!

Qual é a importância da estrutura para confinamento de gado?

Antes de tudo, é fundamental explicarmos do que se trata um confinamento bovino. Ele é um sistema de criação, onde lotes de animais são fechados em espaços com áreas restritas. Geralmente, são locais construídos para essa finalidade e, consequentemente, devem ser elaborados de acordo com requisitos específicos.

Uma vez que os animais estão confinados ou em regime de semiconfinamento, é imprescindível cuidar da alimentação deles de forma absolutamente regrada. Os alimentos, na maioria das vezes, são fornecidos em linhas de cocho. A água, em bebedouros.

Costumeiramente, esse processo é realizado em épocas de seca. Isso não é à toa, já que, durante esses períodos, há uma escassez na forragem para o pastejo dos animais. Essa diminuição prejudica o desenvolvimento bovino e pode acarretar prejuízos na produtividade pecuária.

Sendo assim, podemos dizer que confinamentos bem estruturados originam animais mais saudáveis, fortes e robustos. Por consequência, é possível obter melhores oportunidades de negócio a partir desse tipo de prática.

Com o bom uso do sistema e o foco no bem-estar dos bovinos, a produção tende a crescer e alcançar números mais satisfatórios. Ou seja, um período naturalmente marcado pela queda produtiva — a seca — pode se tornar um verdadeiro diferencial competitivo em relação ao mercado.

Porém, antes de dar início à construção do espaço físico, é essencial elaborar um orçamento da estrutura. Ele é importante tanto para o planejamento quanto para o controle das operações do sistema. Assim, há como analisar o resultado de todas as implementações, bem como a relação entre custos e ganhos associados a cada uma delas.

A forma de se conduzir a estruturação, por sua vez, depende muito da infraestrutura de sua fazenda e dos outros recursos que você tem à disposição para desenvolver o sistema. A título de exemplificação, o piso deve ser elaborado para dificultar o acúmulo de lama.

Dessa forma, é mais do que válido colocar concreto nessa região do confinamento. As cercas nos entornos do confinamento também devem ser planejadas, para que os animais não fujam ou se machuquem acidentalmente.

Como o espaço físico e a estrutura influenciam na produtividade?

Como explicamos no tópico anterior, o espaço e a forma de estruturá-lo influenciam bastante na produtividade. Por isso, alguns cuidados ligados à construção e ao trato com os gados não podem ficar de lado em nenhuma hipótese, tendo em vista que isso pode causar prejuízos à produção.

É necessário, por exemplo, que haja um espaço próprio para fornecer água em grandes quantidades. As baias devem ser raspadas a fim de dificultar a formação de lama. Também é preciso que se faça ajustes alimentares conforme as alterações na temperatura, ou seja, dispor de meios para mensurá-la diariamente é indispensável.

Não por acaso, o espaço deve ser amplo para evitar que os bovinos não sofram muito com o estresse — algo indesejável para o rendimento. Sem as condições mínimas para evitar doenças e conflitos, a produção pode perder muito em termos produtivos. Portanto, o piso e a cobertura dos cochos necessitam de bastante atenção, de modo que o confinamento não seja inviabilizado por carências estruturais.

Depois de construir o confinamento e terminar a sua estrutura, o monitoramento dos animais deve ser realizado com frequência e individualmente. Caso contrário, as dificuldades de adaptação não serão encontradas e o animal pode apresentar um desenvolvimento abaixo do esperado.

É normal, por exemplo, que alguns bovinos demonstrem esses sinais nos primeiros dias. Contudo, se a condição de estranhamento durar mais que três dias, é preciso retirá-los e levá-los para um curral de enfermaria, para que recebam tratamento veterinário, se necessário.

Quais impactos a estrutura de confinamento causa no rebanho?

Segundo uma pesquisa conduzida por Fernanda Macitelli Benez, que é doutora em Zootecnia e professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), animais que ficaram confinados em espaços maiores tiveram um melhor desempenho quando comparados a outros que ficaram em ambientes menores.

De acordo com o estudo, que confinou 1350 machos inteiros em três disponibilidades de espaço (6, 12 e 24 m² por animal) com a mesma dieta, os gados que ficaram nos espaços de 24m² usufruíram de melhores condições ambientais e puderam se desenvolver melhor. Isso aconteceu porque acessaram o bem-estar animal de modo mais efetivo.

Conforme apontado pela especialista em sua tese, “o estado físico e emocional dos animais e suas correspondentes reações aos manejos podem ter impactos importantes na quantidade e qualidade de carne produzida”.

“No entanto, são escassos os estudos, em condições tropicais, como da maioria das regiões brasileiras, tratando da relação existente entre a implantação de estratégias para melhorar o bem-estar de bovinos em confinamentos e seus potenciais efeitos sobre o ganho de peso, qualidade das carcaças e da carne”, ressalta a pesquisadora.

É por isso que muitos produtores e técnicos constantemente se questionam sobre quais seriam as melhores práticas — do ponto de vista da estruturação e do manejo — para garantir a lucratividade da produção e, assim, encaminhá-la da melhor forma possível.

Como otimizar a estrutura para confinamento de gado?

De qualquer modo, pode-se dizer que toda e qualquer alternativa voltada à saúde dos animais é bem-vinda, desde que respeite, é claro, as limitações da própria estrutura. A tendência é que esse tipo de implementação ajude a reduzir o estresse, fazendo com que os animais se desenvolvam de maneira mais saudável.

Com mais espaço, o ganho de peso diário tende ao crescimento, ao passo que o número de hematomas na carcaça, à diminuição. As doenças também podem seguir essa mesma lógica. Enfim, otimizar a estrutura para confinamento de gado envolve uma série de realizações, que vão do planejamento à compra dos melhores materiais e à execução de boas práticas.

Se você gostou do texto, aproveite para manifestar suas opiniões nos comentários — nós queremos saber o que você achou!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário