Cerca elétrica para pastejo rotacionado: por que e como usar

A instalação da cerca elétrica para pastejo rotacionado precisa ser feita de forma adequada, de acordo com as espécies criadas e o sistema de manejo envolvido. Quando implementada em conformidade com as melhores práticas, a divisão da pastagem permite manejar as forragens de forma racional, econômica e descomplicada.

Quer saber mais dos benefícios do manejo rotacionado com o uso de cerca elétrica e como essa construção precisa ser executada? Continue a leitura e descubra!

Afinal, o que é pastejo rotacionado?

No pastejo rotacionado, o pasto é dividido em diversos subpastos, chamados piquetes, que são alternadamente utilizados em períodos de pastejo e descanso, seja para gado de corte, seja para produção de leite a pasto. O objetivo desse sistema é garantir um fornecimento constante de alimento para os animais ao longo de todo do ano. Para isso, aumenta-se o rendimento forrageiro em cada unidade da área.

Assim, ao rotacionar, o pecuarista garante pasto de qualidade para o rebanho. Para isso, é necessário assegurar boas condições do solo e, para os animais, água limpa, sombra, manejo e cocho.

O sistema rotacionado respeita a fisiologia dos diferentes tipos de pastagem a fim de alcançar uma longevidade maior ao pasto. Assim, a rotação é implementada para acolher as necessidades da forrageira que, consequentemente, atendem as da produção.

Com o sistema é possível obter:

  • maior controle sobre a quantidade de pasto disponível para os animais;
  • pastejo uniforme, evitando carência ou desperdício de pastagem;
  • redução de plantas tóxicas e invasoras;
  • aumento da vida útil das pastagens;
  • mais tempo para a recuperação da pastagem, o que fornece maior nutrição e resistência às plantas em períodos de estiagem;
  • um maior desempenho nutricional por área, o que se reflete na produtividade e na lucratividade da fazenda;
  • redução de perdas de forrageiras por pisoteio excessivo de animais.

Para fazer a separação dos piquetes no pasto, é possível utilizar cerca elétrica ou convencional. A cerca elétrica para pastejo rotacionado, porém, tem apresentado melhores resultados práticos e econômicos. Entenda melhor os seus benefícios!

Quais os benefícios da cerca elétrica para pastejo rotacionado?

A cerca elétrica é formada por um sistema bem simples, consistindo em um eletrificador, que emite os pulsos elétricos de curta duração, baixa corrente e alta voltagem. Se o animal encosta no fio, a energia passa pelo corpo do animal até atingir o solo, causando-lhe um incômodo semelhante a uma forte agulhada.

Esse choque elétrico não causa dor, nem danos à sua integridade física, mas atua como uma barreira psicológica, que desincentiva o animal de avançar contra a cerca pela simples lembrança do desconforto.

A cerca elétrica para pastejo rotacionado se torna uma ótima alternativa, uma vez que exige uma estrutura bastante simples, de fácil montagem e de baixo custo. Suas principais vantagens, portanto, são:

  • facilidade e agilidade na implementação;
  • versatilidade de aplicações;
  • viabilidade econômica;
  • facilidade no manejo;
  • capacidade de amansar animais.

Porém, para que essas vantagens sejam percebidas no pastejo rotacionado, faz-se necessária a correta execução do projeto.

Passo a passo para construção de cercas de arame liso e farpadoPowered by Rock Convert

Como é a construção da cerca elétrica nesses casos?

Existem alguns pontos que devem ter levados em conta na hora da instalação da cerca elétrica. Veja a seguir.

Equipamentos necessários

Em uma cerca elétrica fixa, utilizamos mourões e arames. Em uma cerca elétrica móvel, utilizamos varetas plásticas, fios, fitas e vergalhões. De uma forma geral, a ideia é reduzir a quantidade de materiais.

Escolha do eletrificador

O eletrificador precisa ser selecionado conforme a potência do aparelho, não segundo a extensão da cerca. Apesar disso, embora não se deva utilizar a quilometragem como medida exata para mensurar a potência do dispositivo, em média trabalha-se com uma escala de 5 km de arame para cada joule (J) liberado.

No entanto, algumas características podem exigir uma potência maior:

  • arames finos e enferrujados;
  • mato tocando a cerca;
  • isoladores já velhos e ressecados.

Distância entre mourões

O que determina a distância entre os mourões (lascas ou estacas) é o relevo. Eles são utilizados como suporte e não têm a função de conter os animais. É possível ter mais de 50 metros de distância entre postes em áreas planas. Em terrenos desnivelados, é necessário reduzir o espaçamento para seguir o relevo e manter a altura do animal.

Fios

Os dois principais fatores que determinam a altura e a quantidade de fios são:

  • categoria de animal: o porte do animal e o tamanho do rebanho interferem na altura e na quantidade de fios. Por exemplo, se houver dois tipos de animais com portes diferentes, serão necessários dois fios, com alturas condizentes aos animais em contenção — ou seja, uma cerca inteligente;
  • clima e solo: solos arenosos ou secos, como em regiões em que há seca, a cerca não consegue impulsionar o choque no animal. Nesse caso, será necessário intercalar fios negativos e positivos, pois o tipo de solo não vai interferir.

Tipos de isoladores

Existem diferentes isoladores. Por exemplo, isoladores externos W e anel com parafuso, e isoladores do tipo mangueirinha. No geral, prefere-se utilizar isoladores externos, uma vez que a mangueirinha costuma acumular sujeira, escapar do poste, ressecar ou dificultar a troca do poste.

Protetores

No Brasil, o que geralmente causa danos no eletrificador são descargas na rede elétrica, raios ou mesmo a oscilação da rede rural. Para proteger da descarga que vem da rede elétrica, aterre a tomada que liga o eletrificador e utilize um estabilizador de potência.

O número de hastes depende do tamanho do aparelho. Contudo, o mínimo é três hastes de aterramento. Elas devem ser instaladas em locais cujo solo permaneça úmido mesmo em épocas de seca. Em regiões em que isso não é viável, o aterramento precisa ser molhado abundantemente a cada semana no período de seca.

Trabalha-se com uma distância de 3 metros entre as hastes. Após 1 km de distância do aparelho, construa aterramentos secundários no fio negativo, com uma ou duas hastes para cada aterramento.

A fim de proteger o aparelho da descarrega que vem na cerca, instala-se um kit para-raios, que é posicionado a uma distância de 20 metros do aterramento do aparelho. A instalação é feita no fio eletrificado, que é interrompido com um isolador do tipo castanha e interligado com uma resistência específica.

Como vimos, a cerca elétrica para pastejo rotacionado é uma excelente maneira de subdividir a propriedade, além de custar menos que o cercamento convencional, tanto por sua estrutura mais simples, quanto pela mão de obra na instalação. Aplicando as melhores práticas e utilizando os melhores materiais durante a implementação do projeto, o sistema funcionará com resultados muito satisfatórios.

Quer saber como não errar na construção da cerca? Então, confira alguns cuidados essenciais na instalação de cerca elétrica rural que você não pode esquecer!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.