belgo campestre e belgo cercar

Conheça a Belgo Campestre Carneiro® e a Belgo Bovino®

Sua fazenda precisa de eficiência na cerca rural? A Belgo Campestre Carneiro® e a Belgo Bovino® ajudam a alcançar esse objetivo. Econômicas e duráveis, elas são ideais para proteger sua lavoura ou sua criação de animais.

Elas têm muitos diferenciais — inclusive, são conhecidas como inteligentes. Dessa forma, você tem acesso a uma cerca de qualidade, de fácil instalação e manutenção, e com segurança garantida.

Para explicarmos melhor as diferenças entre esses modelos de telas e o porquê de elas serem mais duráveis, conversamos com Elton Monteiro, Analista de Mercado Agro da Belgo Bekaert. Confira!

Como a Belgo Campestre Carneiro® e a Belgo Bovino® são fabricadas?

Um dos grandes diferenciais de qualidade das cercas é a preocupação com a matéria-prima utilizada na fabricação. São adotados materiais puros, como o minério de ferro, e não materiais reciclados, como aço reaproveitado.

O cuidado, portanto, é do início ao fim do processo. A matéria-prima é retirada na mineradora e processada na siderúrgica. Transformado em aço, o material chega até as nossas unidades fabris em forma de fio máquina.

“Ele chega com uma determinada bitola, então fazemos um processo de sete lajes de destilação, que é a redução do diâmetro desse fio por meio de máquinas que promovem o esticamento do fio e reduzem o seu diâmetro”, explica Elton.

Depois de reduzida a bitola do fio, o arame recebe um tratamento e, então, passa para a galvanização, o processo que dá a camada protetora de zinco. Tudo terminado, os fios vão para as máquinas que tecem os arames, formando as telas.

A tela Belgo Campestre Carneiro® recebe tripla galvanização, isto é, tem três camadas de zinco. Esse material recebe a mesma galvanização do Motto®. Por isso, tem uma boa durabilidade na propriedade e no local em que é aplicado.

Já a Belgo Bovino® — a cerca pronta da Belgo Bekaert — é uma solução desenvolvida para gado de corte. Ela também recebe as três camadas de zinco, mas sua estrutura ainda contém uma camada de alumínio — juntas, formam a proteção bezinal.

Devido a essa característica, o arame tem uma vida útil mais longa no local em que é aplicado. Por isso, a Belgo Bovino® é mais indicada para uso em divisa de propriedades, especialmente beiras de rodovias, locais perigosos para arriscar a fuga do rebanho.

Além disso, a Belgo Bovino® é inteligente, conforme explica Elton. “Ela tem boa adaptação a qualquer tipo de relevo onde é instalada”. Os fios da parte de baixo são mais próximos um do outro para conter pequenos animais, enquanto a parte de cima tem maior espaçamento entre os fios e a resistência necessária para conter um bovino, um javali ou outro animal de grande porte.

Quais são as maiores diferenças entre as duas?

A comparação entre a Belgo Campestre Carneiro® e a Belgo Bovino® mostra que as duas cercas são excelentes, mas têm finalidades diferentes. A primeira, por exemplo, tem um fio mais fino, de 2,2 mm, enquanto a segunda tem arame de 2,5 mm.

O tipo de nó também é diferente. Na Belgo Bovino®, os nós têm o formato gravata. Na Belgo Campestre Carneiro®, é charrua; e cada charrua tem em média três voltas.

Hoje, a Belgo Campestre Carneiro® é confeccionada em 11 fios de arame. A cada 20 cm, eles são colocados na linha vertical para criar o formato de tela. Há duas aberturas maiores, de 20 cm x 20 cm, e oito aberturas menores que são de 10 cm x 20 cm.

Passo a passo para construção de cercas de arame liso e farpadoPowered by Rock Convert

Por sua vez, a Belgo Bovino® tem um espaçamento maior, a cada 30 cm e com 5 fios, apresentando o mesmo padrão das cercas convencionais, visto que sua aplicação é para cercamento de gado.

Elton nos conta que essa cerca é muito usada na Europa. O modelo foi trazido para o Brasil e adaptado ao hábito dos produtores de criarem seus animais soltos. Com essa tela, os produtores conseguem demarcar as áreas por onde o rebanho costuma ficar e, assim, fazer o controle sanitário, além de um bom manejo.

Destaca-se, também, o fato de ser móvel, o que garante fácil desinstalação para que possa ser utilizada novamente como novas cercas, otimizando, assim, o aproveitamento de área na propriedade.

Por que essas cercas duram mais?

A durabilidade das cercas Belgo Campestre Carneiro® e Belgo Bovino® é elevada, quando comparada ao modelo convencional de arame liso ou farpado. O prazo de uso depende muito do local de aplicação. Por exemplo, nas regiões litorâneas, que têm agentes corrosivos como a maresia, o período de duração é menor e fica entre dez e 15 anos.

Se é um local alagado, que permanece submerso durante determinada estação, a vida útil é ainda mais baixa, porque o arame está exposto durante dois ou três meses aos agentes corrosivos, e o prejuízo é significativo nesse período. Por outro lado, em regiões com baixos índices pluviométricos podemos encontrar propriedades com cercas com idade média de 25 a 30 anos.

Elton explica que, se todas essas condições específicas forem consideradas, a média da vida útil é de 15 a 20 anos. As linhas Belgo Campestre Carneiro® e Belgo Bovino® são produtos únicos no mercado, com tecnologias desenvolvidas especialmente para o homem do campo.

A Belgo Bekaert sempre busca obter matérias-primas de qualidade, com foco na redução de custos de construção da cerca e no aumento da eficiência das atividades na fazenda.

Como instalar a Belgo Campestre Carneiro® e a Belgo Bovino®?

Uma das características de ambas as telas da Belgo é a fácil instalação. Isso se deve ao fato de que as telas são prontas (os fios verticais fazem o papel dos balancins), claro, mas também ao espaçamento entre os mourões intermediários, que pode ser o dobro de uma cerca convencional — até 8 m.

Elton avisa que é preciso ter cuidado com essa distância mínima, pois assim as cercas são eficientes tanto na sua aplicação quanto na questão econômica. Esse espaçamento entre os mourões acarreta uma redução no custo das madeiras, além de permitir que as telas se adaptem melhor às irregularidades dos terrenos.

O especialista ainda aconselha que o produtor utilize os equipamentos recomendados pela Belgo Bekaert para esticar as telas. Ademais, é preciso atenção na hora de fixar as telas nas estacas intermediárias. Os grampos devem ter a mesma qualidade dos arames; caso contrário, o cercamento pode ser prejudicado.

Para essas cercas, os melhore grampos são os galvanizados, porque recebem o mesmo tratamento que os arames das telas e, portanto, proporcionam maior proteção e mais durabilidade. Todavia, evite danificar o arame na estaca na hora de prender os grampos.

Qualquer dano causado pode causar o rompimento de algumas linhas, o que diminui a eficiência da cerca. Elton também lembra que, para tensionar os fios, os mourões esticadores e intermediários devem estar bem firmes no solo.

Ao tomar essas precauções, você usufrui todas as vantagens das cercas Belgo Campestre Carneiro® e Belgo Bovino® instaladas na sua fazenda. Segurança, resistência, durabilidade e eficiência é o que você pode esperar dos produtos da Belgo Bekaert.

Interessou-se? Então, encontre o revendedor mais próximo de você e descubra por que não há concorrentes às nossas telas.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.