5 cuidados essenciais na instalação de cerca elétrica rural

  • Home
  • Pecuária
  • 5 cuidados essenciais na instalação de cerca elétrica rural

A instalação de cerca elétrica pode ser o passo que faltava para que a sua criação de bovinos alcance a melhor produtividade possível. Além disso, é fundamental pensar na forma como as demarcações da propriedade são feitas.

Levando a importância do tema em consideração, preparamos este artigo. Durante a leitura, você entenderá quais são as situações mais adequadas para o uso desse tipo de cerca. Também mostraremos os cuidados essenciais para instalá-la corretamente.

Boa leitura!

Como funciona e quais as vantagens da utilização de uma cerca elétrica rural?

Para tratar desse tema complexo com maior profundidade, conversamos com Ernesto Coser Netto, que é gerente de cercas elétricas da Tru-Test — uma das líderes mundiais na fabricação de equipamentos de cercas elétricas. De acordo com ele, “o principal benefício da cerca elétrica rural é o custo. A proposta é substituir a estrutura por choque, que passa a conter o animal”.

Como instalar uma cerca elétrica rural?

Segundo Coser Netto, a instalação de uma cerca convencional, no Brasil, geralmente assume a seguinte configuração: um poste a cada 4 metros e 5 fios, além da mão de obra para instalar. “Na elétrica, o que determina o espaçamento entre postes é o relevo. Há cercas em que se usa 40 metros de distância de um poste a outro”, explica o especialista.

Ainda de acordo com ele, o relevo é um ponto determinante em relação à instalação. Se o relevo for mais ondulado, é preciso seguir o solo e manter o arame sempre na mesma altura, copiando a altura do solo. Desse modo, em alguns lugares, é necessário aproximar os postes. Em lugares mais planos, vale a pena aumentar a distância entre eles — algo em torno de 25 metros é cabível.

“O poste também pode ser muito mais leve e fino. É possível fazer cercas com postes metálicos, com vergalhão de construção, porque o que segura o animal é o choque, e não a estrutura”, aponta Coser Netto. Os piquetes, por sua vez, não devem ser muito grandes e o número de fios depende da categoria do animal. Na maioria das vezes, utilizam-se três fios.

Em quais situações a cerca elétrica rural é mais indicada?

Em linhas gerais, pode-se dizer que a cerca elétrica é uma excelente forma de subdividir a propriedade. Afinal, fazer o cercamento convencional tende a ser um procedimento bem mais caro, com uma mão de obra custosa.

“A vantagem desse método é que, quanto mais subdivida uma fazenda é, melhor será o manejo de pastagem, o que gera um aumento na lotação, na produtividade, na área e, por consequência, na rentabilidade”, esclarece o gerente.

Tenha em mente que é viável utilizá-la  em qualquer tipo de terreno, mas algumas características demandam maior atenção. “Em solo arenoso ou região seca”, pondera, “é necessário fazer pelo menos um fio negativo na cerca. Esse fio permanece ligado no aterramento do aparelho, junto a outros aterramentos auxiliares que ficam ao longo da cerca.”

Como ela funciona?

Conforme explica Coser Netto, “o choque acontece quando o animal toca no fio, descendo pelo corpo dele até o solo e pelo solo ele corre até o aterramento do aparelho. Nesse momento, o animal sente o impacto. Em cercas com três fios, os dois da ponta normalmente são negativos e o do meio é positivo, ou vice-versa”.

Quais são os 5 cuidados na instalação de cerca elétrica rural?

1. Capriche na escolha do eletrificador

O eletrificador é responsável por “empurrar” o choque no arame. Sua unidade de potência é o joule, isto é, quanto mais joules ele tiver, maior será a voltagem da cerca. O mínimo para que os bovinos comecem a sentir o choque é de 4 mil volts.

“O ideal é ter uma cerca com algo em torno de 8 ou 9 mil volts, porque a cerca elétrica envelhece diariamente — o arame enferruja, o isolador resseca e o mato cresce. Lembre-se de que a legislação impede que se use mais de 12 mil volts”, considera Coser Netto.

2. Monte o aterramento com cuidado

O aterramento tem que ser feito com uma haste própria de aço galvanizado, grampos e um cabo galvanizado para conectá-las. “Se o eletrificador tiver acima de três joules, é necessário usar uma haste de aço galvanizado por joule, usando qualquer figura geométrica, em um lugar úmido”, indica o especialista.

Depois, basta ligar o aterramento no botão negativo — o eletrificador tem saídas positiva e negativa. Ligue-o no negativo da cerca e no positivo conecte o fio do choque.

3. Tenha atenção aos isoladores

Os isoladores devem ser de plástico virgem e ter filtro ultravioleta (UV) para que não ressequem ao sol, porque isso tira a propriedade de isolamento. Saiba que é preferível recorrer aos isoladores externos, já que os internos se cortam facilmente e podem enferrujar o arame.

4. Escolha o arame ideal

A escolha do arame está ligada a diversos fatores. Para os grandes projetos, o ZZ-700 Bezina desponta como uma ótima opção, já que é triplamente galvanizado e tem alumínio em sua composição, o que ajuda muito na transmissão do choque.

Coser Netto também recomenda o Eletrix, conhecido por sua resistente camada tripla, e o Z-700 — ideal para regiões mais secas, com menos salinidade no ar.

5. Pense nos postes, na proteção e na sinalização

“Qualquer material, desde que seja isolado, pode ser usado como poste. Para usar um poste metálico, é preciso contar com um isolador adequado, para que o arame de choque não toque nele e origine um vazamento gigantesco”, aconselha Coser Netto.

Em relação à proteção, ele recomenda construir kits para-raios que jogam para o solo algum raio que possa atingir a cerca. “É possível ter um bom sistema elétrico na tomada, mas o risco é maior do que usar painel solar e bateria, porque aí é limpo, não há variação e a possibilidade de quebra via alimentação é zero.”

A sinalização, por sua vez, precisa ser bem pensada e feita onde há passagem de pessoas. Placas com cores chamativas — amarelo ou laranja — são as sinalizações mais indicadas.

Quais são as consequências da má instalação?

A pior consequência de instalar mal uma cerca elétrica rural é deixar o gado escapar. Também existem casos de animal invadindo lavoura e ´contaminação´ de linhagens premiadas porque um boi vizinho entrou no pasto.

Há, ainda, o risco de desconfiguração de aparte, fazendo com que o rebanho se misture novamente. “Em suma, a falta de choque na cerca pode levar a prejuízos muito grandes”, conclui Coser Netto.

Gerar lucro com uma fazenda é algo desafiador. A instalação de cerca elétrica, quando feita da maneira ideal, tende a ajudar bastante na busca por esse objetivo. Portanto, tenha atenção a esse ponto e reduza os custos de sua produção.

Se você gostou do texto e quer receber conteúdos exclusivos, aproveite para assinar a nossa newsletter gratuita!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário