Acompanhamento da obra: saiba os principais aspectos a serem analisados

acompanhamento da obra

Você sabe por quais motivos o acompanhamento da obra é tão importante? Quais aspectos devem ser analisados? Se eles podem ou não contribuir para a economia de recursos? Neste texto, respondemos essas e outras questões sobre o assunto. Confira!

É fato que a produtividade na construção civil depende de inúmeros fatores, assim como o alinhamento às propostas do projeto. Nesse sentido, o acompanhamento da obra desponta como um dos aspectos mais relevantes para garantir que a execução seja condizente com o que foi projetado.

Para que você entenda melhor como fazer o gerenciamento de riscos e saiba de que modo a tecnologia pode otimizar o seu trabalho, conversamos com André Soares Caliari, que é engenheiro de aplicação da Belgo Bekaert Arames. Acompanhe!

Como fazer um bom acompanhamento da obra?

Uma das maneiras eficazes de acompanhar a obra é por meio um plano de rotina bem consolidado. “Esse documento auxilia a saber o que está fora do cronograma e quais soluções podem ser aplicadas para diferentes problemas — contar com uma mão de obraqualificada para essa finalidade é fundamental”, aponta André.

Vale ressaltar que o planejamento se inicia antes da construção em si, porque há a necessidade de pensar em quais alternativas são viáveis para resolver eventuais complicações. Em virtude dessa demanda, há uma busca crescente pela industrializaçãodos canteiros de obra, que cria processos e contribui muito nesse sentido.

Atualmente, é possível notar vários projetos com procedimentos previamente definidos, que guiam todo o planejamento. Dessa forma, a execução adquire um índice de controle, permitindo identificar o que está rápido ou lento, bem como se o andamento dos prazos está de acordo com as expectativas iniciais.

No que consiste a industrialização da obra?

“No passado, era comum comprar o vergalhão em barra reta e solicitar a armação dentro do canteiro de obra, por exemplo. Porém, com o passar do tempo, notou-se que o rendimento de um profissional é inferior ao da máquina em diversos casos”, contextualiza o engenheiro. Portanto, sempre que possível, é indicado beneficiar todo o material fora do canteiro para industrializar a construção.

Na prática, ela consiste em comprar dos fornecedores materiais já cortados no tamanho necessário, dobrados e armados — assim, eles chegam prontos, basta aplica-los no lugar certo e concretar, reduzindo os gastos com armadores. Essa redução da mão de obra ativa e passiva não só otimiza o fluxo de trabalho do canteiro, mas também gera uma economia global.

De quais formas o acompanhamento de obra contribui para a economia de recursos?

Os índices de controle associados ao acompanhamento de obra são essenciais para saber se tudo está acontecendo no ritmo planejado, se uma atividade programada para determinado dia ocorreu ou não e assim por diante. Com a industrialização é possível ir além e ampliar o volume de serviços realizados, aumentando a produtividade.

O planejamento financeiro, que também está ligado ao acompanhamento, é um dos principais responsáveis por gerar a economia de recursos, visto que caminha lado a lado da rotina do canteiro. Afinal, tudo que é executado precisa ser computado.

Desse modo, é recomendável fazer uma programação mensal de custo para verificar se o que está sendo executado é condizente com o planejamento. Alguns projetos descumprem a expectativa financeira porque consideram uma produtividade de execução e não acompanham esse índice.

Em vários casos, é possível investir em uma solução otimizada, que oferece a mesma performance com menos mão de obra — o risco de erros e atrasos são mitigados e não comprometem o orçamento. É por isso que a industrialização é uma tendência cada vez mais forte.

Como são definidos esses índices? 

Segundo André, normalmente, cada construtora trabalha com seus próprios índices — mesmo os básicos, frequentemente vistos em planilhas de orçamentos, devem ser considerados, como quantos quilos de aço um armador consegue fazer por hora. A definição é feita em níveis hierárquicos para estabelecer diferentes níveis de produtividade e encontrar as opções mais adequadas à necessidade apresentada.

Muitas empresas terceirizam a mão de obra no canteiro, esperando um retorno; outras a contratam de acordo com os índices que almejam alcançar. O índice serve para saber quais são as quantidades e os custos envolvidos.

Como fazer o gerenciamento de riscos da obra? 

O gerenciamento de riscos é inerente ao controle de qualidade. Para realizá-lo é necessário:

·        saber quais são os procedimentos;

·        controlar o recebimento de material;

·        verificar a certificação dos fornecedores;

·        acompanhar as normas de segurança do trabalho aplicadas a cada tipo de estrutura;

·        entre outras boas práticas;

Dito isso, vale frisar que as estruturas de grande porte demandam um alto índice de segurança — é imprescindível tomar todos os cuidados possíveis com os colaboradores e analisar as condições de atuação deles.

“Nesse contexto, o diário de obra e as vistorias são indispensáveis para reduzir riscos; no diário, qualquer pormenor deve ser registrado. Por meio dele, há como buscar eventuais desvios ou consultar a origem de manifestações patológicas futuras, por exemplo”, explica André.

Como a tecnologia pode ajudar?

Além dos relatórios (controle da obra, controle de produtividade, controle financeiro e afins) e das reuniões técnicas semanais — com supervisores, engenheiro responsável, técnicos, mestre de obras etc. —, a tecnologia desponta com uma grande aliada para o acompanhamento de obras.

Com o surgimento crescente de startups no setor — mais conhecidas como construtechs— muitos softwares têm sido desenvolvidos para facilitar todas as etapas do planejamento e do acompanhamento da execução.

A leitura BIM, os scanners e a utilização de drones também exemplificam isso, porque permitem registros de imagens com frequência e fazer comparações: há como criar um link com as câmeras que acompanham as obras do canteiro de obras junto da modelagem BIM.

“Tais recursos são extremamente úteis para analisar quais riscos foram mitigados, ver quantos funcionários estavam no canteiro, analisar se o que foi feito corresponde ao planejado e afins”, conclui o engenheiro.

Enfim, o acompanhamento da obra é fundamental para garantir que todas as metas sejam alcançadas e que o projeto seja executado da melhor forma possível. Sendo assim, deve-se concentrar esforços para conduzir essa atividade com a perícia necessária.

Se você gostou do texto e quer saber mais a respeito, não deixe de conferir os principais desdobramentos da tecnologia na construção civil!

Powered by Rock Convert
Deixe um comentário